Notícias Escola Ivanira participa da Campanha Setembro Amarelo - 17/09/2018

Cerca de 120 alunos da Escola Municipal Ivanira Paizinho participaram nesta terça-feira (18) da palestra “Valorizando a vida”, alusiva a campanha nacional Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio.

O evento ocorreu no Centro Administrativo, na Cohabinal, e reuniu adolescentes de 12 a 15 anos, do 8º e 9º anos. Na ocasião, a professora e piscopedagoga, Iracema Ferreira, tratou vários pontos como os fatores de risco, os vícios em drogas lícitas e ilícitas, violência, bullying, sobre como lidar com pessoas com tendência a automutilação, depressão e suicídio.

Durante a palestra também foi tratado sobre os fatores de proteção e sobre como ajudar as pessoas, se dispondo a ouvir, acolher, a não julgar ou criticar e encaminhando ao tratamento psicológico ou psiquiátrico. Iracema também lembrou que hoje as pessoas que sofrem de depressão profunda e desejo de cometer suicídio podem recorrer ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) ou ligar para o 188 (Centro de Valorização à Vida).

De acordo com a psicopedagoga Iracema, o suicídio é a segunda maior causa de mortes entre os jovens e a cada 45 minutos uma pessoa interrompe a própria vida. “Com a desestruturação das famílias, muitos pais não tem condições de fazer este trabalho dentro de casa, então, para mim é uma satisfação poder apoiar estas famílias oferecendo essa oportunidade de prevenção com os jovens”, afirmou.

O diretor da Escola, Alcimá Miguel, também falou da importância deste momento. “Percebo diante do fácil acesso às informações e redes sociais, que adolescentes e jovens se expõe a informações que não trazem bom conteúdo. Hoje estamos oferecendo a estes alunos essa palestra, mostrando também que eles não estão sós e que tem a quem recorrer”, explicou Alcimá.

O aluno do 9º ano, Pedro Kauê Alves, 15, aprovou a iniciativa da Escola. “Muito importante, vivemos um momento de aumento nos casos de suicídio, e a palestra ajuda a prevenir o problema, mostrando que temos outro caminho. Hoje, as pessoas mostram nas redes sociais uma aparência de vida feliz, que nem sempre é real, nos pressionado a buscar o mesmo padrão, além de muitas pressões na família, na escola, na sociedade”, declarou o adolescente.


Postado Por: Juliana Grace Nbrega de Medeiros
Fotografia de: ASCOM

Compartilhe: Compartilhar Facebook Share on Google+